Tijuca, Ilha e Tuiuti querem mudar voto e Imperatriz pode ser rebaixada

Imperatriz Leopoldinense
Foto: Cris Gomes.

As escolas de samba do Grupo Especial encaminharam uma “desvirada de mesa” e o rebaixamento da Imperatriz Leopoldinense na noite desta quarta-feira, 26 de junho. Em reunião na LIESA, três agremiações pediram à entidade a mudança dos votos dados na plenária de 3 de junho, que decidiu pela manutenção da verde e branco de Ramos na elite do Carnaval carioca.

Os presidentes da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, da União da Ilha do Governador, Djalma Falcão, e da Paraíso do Tuiuti, Renato Thor, trocaram de opinião e passaram a integrar o grupo favorável ao rebaixamento da Imperatriz Leopoldinense. Na primeira reunião, cinco agremiações (Portela, Beija-Flor de Nilópolis, Mangueira, Unidos do Viradouro e Unidos de Vila Isabel) foram contrárias à virada de mesa.

Decisão

No entanto, apesar das três mudanças de votos, a decisão final não pôde ser tomada, uma vez que a reunião desta quarta-feira foi convocada para a aprovação da plenária de 3 de junho. O caso seguirá para o Departamento Jurídico da LIESA e só poderá ser sacramentado após uma assembleia geral.

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*