Samba chora a morte de David Corrêa

Samba chora a morte de David Corrêa
Reprodução.

O samba perdeu neste domingo, 10 de maio, um de seus maiores compositores, o multicampeão David Corrêa. Ele estava internado no Hospital Marcílio Dias em virtude de uma insuficiência renal. Familiares, porém, informaram que a causa da morte foi Covid-19. Em abril, o poeta, que tinha 82 anos, foi atropelado em Jacarepaguá e chegou a ser hospitalizado.

Junto com Noca, David Corrêa é o maior campeão de samba-enredo da Portela. Cada um venceu sete vezes a disputa na escola. Ele também assinou obras que foram para a Avenida em outras agremiações, como Mangueira, Acadêmicos do Salgueiro, Unidos de Vila Isabel, Estácio de Sá e Imperatriz Leopoldinense.

Sambas memoráveis

David Corrêa compôs sambas-enredos memoráveis para a Portela, como Macunaíma, herói de nossa gente, de 1975, e Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite, de 1981. Fora do Carnaval, lançou quatro LPs e assinou músicas como Mel na boca, eternizada por Almir Guineto.

O presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, o vice-presidente Fábio Pavão e toda a diretoria da escola lamentaram o falecimento de David Corrêa, destacando ser “um dos maiores expoentes da Ala de Compositores Ary do Cavaco”, e se solidarizam com os familiares e amigos. “Perdemos um gigante!”

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*