Família encanta sambistas ao reproduzir em casa muitas comissões de frente

Foto: Gelcimar Freitas / Divulgação.

A paixão pelo Carnaval resiste a tudo, até mesmo a uma quarentena imposta por questões de saúde. A família de Luiz Carlos Barbosa Júnior, o Júnior Bill, provou este sentimento e fez da folia uma forma de se divertir e de alegrar quem ama a festa de Momo. Na varanda de casa, eles reproduziram comissões de frente do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Porto Alegre e se tornaram um sucesso na internet.

Júnior Bill, sua esposa Crislaine, sua mãe Maria da Glória, sua irmã Angélica, seus filhos Luis Felipe, de 9 anos, e Lucas Gabriel, de 2 anos, e sua sobrinha Júlia Cristina, de 6 anos, já reproduziram 25 comissões de frente (vejam aqui) e receberam o aplauso de muitos sambistas, inclusive do coreógrafo da Acadêmicos do Salgueiro, Patrick Carvalho, que gravou um vídeo mostrando seu encantamento com a iniciativa da família.

Sucesso

O sucesso, segundo Júnior Bill, aconteceu espontaneamente. “Não esperava esta repercussão. Mas após a primeira, os comentários na internet, no Facebook, me surpreenderam. Era só para me divertir e a minha família e a galera começou a pedir mais. Com isso, eu e as crianças fomos fazendo mais e o pessoal compartilhando. Continuamos porque estamos nos divertindo e divertindo outras pessoas, inclusive quem eu não conheço.”

Algumas comissões foram bem difíceis de reproduzir, até por questões alheias à vontade da família, explicou Júnior Bill. “A deste ano da Viradouro deu mais trabalho por conta do material, que não tínhamos. Queria colocar minha sobrinha em um aquário com água, para ficar bem próximo da coreografia deles. Só que não podemos sair de casa, só para ir ao mercado. Foi aí que, após quebrar a cabeça, pensei na mangueira soltando água em cima dela e um pano descendo para ela aparecer.”

Bill Comissão de Frente 02
Foto: Divulgação.

Definição

O processo de definição é bem simples, conta Júnior Bill. “Eu escolho as comissões no YouTube. Minha irmã tem material de festa. Eu mostro a ela dizendo que dá para fazer com o que temos em casa e depois apresento para as crianças. Vemos umas algumas vezes para pegar alguns passos deles e os outros passos vão no improviso mesmo. Não conseguimos fazer 100% da coreografia deles porque eles são muito profissionais.”

A garotada não perde tempo para se divertir, conforme relata Júnior Bill. “Estão super animados e, por isso, ficam sempre me perguntando qual vai ser a próxima escola e se já podem começar a ensaiar, principalmente o Luis Felipe e a Júlia. Eu digo: vamos com calma.”

Sambistas

O segmento não chega a ser uma novidade para Júnior Bill, assim como para sua mãe, que já coreografou a comissão de frente da Aprendizes do Salgueiro, mas sua paixão é o ritmo. “Participei da comissão de frente da escola mirim Aprendizes do Salgueiro, com 12 anos, mas gostava de ser ritmista. Entrei para a bateria do Salgueiro em 2002, com Mestre Louro. Toco surdo de primeira, mas já desfilei em outras escolas tocando caixa e surdo de terceira. Nunca passou pela minha cabeça desfilar na comissão de frente.”

O filho mais velho e a sobrinha seguem o caminho da família. “O Luis Felipe já desfila há quatro anos em ala e na bateria. A Júlia desfila há dois anos como passista e de musa este ano. Os dois na Aprendizes do Salgueiro. O Lucas Gabriel ainda não tem idade, não é permitido.”

Enquanto seguem produzindo durante a quarentena, Júnior Bill promete que nem mesmo o retorno às atividades cotidianas farão a brincadeira terminar. “O que mais peço a Deus é que a pandemia termine e tudo volte ao normal. Mas não vamos parar não. O samba não pode morrer.”

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*