Confira a sinopse do enredo da Estácio de Sá

Cristo Negro é o enredo da Estácio de Sá
Foto: Reprodução.

A Estácio de Sá divulgou na noite de segunda-feira, 16 de julho, a sinopse do enredo A fé que emerge das águas, que será desenvolvido pelo carnavalesco Tarcísio Zanon. O texto é assinado por Daniel Targueta. O tema aborda a devoção à imagem do Cristo Negro, encontrado na cidade de Portobelo, no Panamá.

Penúltima agremiação da Série A a divulgar seu enredo, faltando apenas a Acadêmicos de Santa Cruz, a Estácio de Sá será a terceira escola a desfilar no sábado de Carnaval, em 2019, na Sapucaí.

Sinopse

Pai Nosso que emerge das águas

Santificado seja vosso nome: Nazareno

Venha a nós neste momento

E abençoada seja vossa chegada

 

Pai Nosso que emerge das águas

Resplandecente como o pássaro sagrado

Em teu altar a medalha de ouro ofertamos

Para que traga a nós as correntezas do Pacífico e do Atlântico

As águas, antes bravias, contigo se acalmaram

E o povo, colérico, enfim ficou curado

 

Pai Nosso que emerge das águas

Evoca a memória de uma terra que surgiu do fogo

Cessa a nuvem de pólvora que exalou do ouro

Limpa as lágrimas do rio que chora

E ergue o canal que une dois mundos

 

Pai Nosso que emerge das águas

Perdoai as ofensas daqueles que não o entendem

Daqueles que não compreendem que sua cor é negra

Um Cristo que carrega a cruz das três raças

 

Pai branco, Pai índio, Pai negro

Pai Nosso, seja kuna ou seja banto

Na colheita ou no palenque do guerreiro Bayano

Salve Obatalá Nosso Pai

 

Se Jesus Cristo tivesse morrido na cruz dos dias de hoje

Ele seria negro

Porque nosso Cristo é o Cristo Negro

Nosso Cristo é o que seu povo quer que ele seja

 

Por isso, Pai Nosso que emerge das águas

A memória de uma nação celebrai hoje

E fazei com que Ismael tire seu chapéu

Para uma gente que peregrina

Para uma gente que peleja

Uma gente que festeja

Uma gente que tem fé

 

Ouve, meu Pai, ao chamado em Portobelo

Onde os tambores de Congo se afinam

Os malandros se dobram

Os mascarados dançam

E as polleras bailam a melodia

 

Pai Nosso, bendito e misericordioso

Cristo de braços abertos sobre as águas

Aquele que comparte o fardo da nossa cruz diária

Ajuda-nos a mirar o passado com gratidão

Encarar o presente com valentia

E construir o futuro com esperança

 

Ó, Cristo Nazareno Negrón

Nesta noite te oferecemos flores em devoção

Que seja feita, aqui e aí, a tua vontade

Assim na Terra como no céu:

Glória e prosperidade ao Panamá

E alegria a nosso povo da Estácio de Sá

 

Amém.

Carnavalesco: Tarcisio Zanon

Texto: Daniel Targueta

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*