Alunos de escola particular mergulham em enredos do Carnaval carioca

Alunos de escola particular mergulham em enredos do Carnaval carioca

O Carnaval ainda continua apaixonando os corações infantis. Uma turma de alunos da oitava série de uma escola particular mergulhou no mundo das agremiações cariocas na mostra pedagógica e lembrou enredos que passaram pela Sapucaí. A ideia foi de um dos estudantes e prontamente aceita pelos professores.

O trabalho anual da turma do Santa Mônica Centro Educacional, unidade Freguesia, contou dois enredos da Beija-Flor de Nilópolis e dois da Imperatriz Leopoldinense. Os temas foram detalhados pelos alunos para os visitantes em suas exposições. Eles ainda contaram detalhes da história das agremiações.

Enredos

Os enredos escolhidos pelos professores forma A saga de Agotime – Maria mineira Naê, da Beija-Flor, em 2001; A Virgem dos Lábios de Mel – Iracema, também da azul e branco de Nilópolis, em 2017, sobre o romance de José de Alencar; Nem todo pirata tem perna de pau, o olho de vidro e a cara de mau, da Imperatriz Leopoldinense, em 2003; e Uma delirante confusão fabulística, da escola de Ramos, em 2005.

Um grupo visitou a escola de Ramos e enriqueceu o trabalho com fantasias do último desfile. Outro fez um vídeo recontando a história de Iracema, do livro de José de Alencar. Houve também a criação de um livro de desenhos ilustrando a saga de Agotime no Brasil e de um jogo que lembrou os personagens de Hans Christian Andersen e de Monteiro Lobato. Os estudantes foram unânimes em afirmar que aprenderam bastante com os enredos.

Ideia

A partir do tema da mostra pedagógica da instituição, Cores, Cantos e Contos, o aluno Daniel Ribeiro sugeriu aos professores José Alexandre e Marcelo, responsáveis pelo trabalho na oitava série, abordar o Carnaval. O estudante é apaixonado pela folia, acompanha o cotidiano das escolas de samba, comparecendo, inclusive, a todos os cortejos da Série A e do Grupo Especial na Sapucaí, nos últimos anos, e é componente da Acadêmicos de Santa Cruz. A ideia foi prontamente aceita e abraçada pelos colegas de classe. O resultado reforçou o quanto a folia pode contribuir para o conhecimento dos brasileiros.

A saga de Agotime – Maria mineira Naê, da Beija-Flor, em 2001. Ao centro, Daniel Ribeiro, que sugeriu o Carnaval como tema da mostra.
; Nem todo pirata tem perna de pau, o olho de vidro e a cara de mau, da Imperatriz Leopoldinense, em 2003.
A Virgem dos Lábios de Mel – Iracema, da Beija-Flor, em 2017.
Uma delirante confusão fabulística, da Imperatriz Leopoldinense, em 2005.

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*